mppu international

twitterfacebook

notícias

ELE AMOU SUA CIDADE ATÉ DAR A VIDA

"Recebi com profunda dor a notícia da morte de Emanuele Crestini, Prefeito de Rocca di Papa, falecido em razão das queimaduras relatadas, após explosão no prédio da prefeitura, por tirar a salvo todas as pessoas que estavam dentro das instalações, dando um exemplo de coragem, de altruísmo e de generosidade para com seus co-cidadãos”. Assim afirmou o Presidente da Republica Italiana, Sergio Mattarella.

Rocca di Papa é membro da “Associazione Città per la fraternità”, rede de cidades empenhadas a inserir a fraternidade na vida e nas políticas da cidade,, tendo como inspiração o pensamento de Chiara Lubich e da vida do Movimento dos Focolares, que tem sua sede internacional na mesma Rocca di Papa. 

Maria Voce, Presidente do Movimento dos Focolares escreveu o seguinte:

 

 

 

MAIS DE 8 MIL VENEZUELANOS ENTRARAM NO PERU EM UM ÚNICO DIA

 

A Agência das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, enviou equipes extras à fronteira entre o Peru e o Equador para apoiar as autoridades a lidar com um número sem precedentes de refugiados e migrantes venezuelanos entrando no Peru.

 

Exigências 

 

Autoridades peruanas anunciaram novas exigências de visto para os venezuelanos a partir de 15 de junho. 

Na sexta-feira, mais de 8 mil venezuelanos cruzaram a fronteira em Tumbes, o maior número já registrado em um único dia. Destes, 4,7 mil apresentaram pedidos de asilo no Peru, também um número sem precedentes.

No total, o Peru recebeu mais de 280 mil pedidos de asilo de cidadãos venezuelanos e deu permissão de residência temporária para mais de 390 mil. A estimativa é de que ao todo, aproximadamente 800 mil refugiados e migrantes da Venezuela estejam no país. 

 

Vulnerabilidade

 

Segundo o representante do Acnur no Peru, Federico Agusti, “as pessoas estão chegando numa situação cada vez mais vulnerável.”  Ele disse que “alguns caminham por 30 ou 40 dias em vários países da região” e que é possível ver “pessoas que sofrem de desnutrição ou desidratação e pessoas com problemas médicos.” 

 Agusti destacou ainda que “há cada vez mais famílias com crianças.”

De acordo com o Acnur, as autoridades peruanas na fronteira estão trabalhando 24 horas por dia para processar as chegadas.

A agência da ONU e seus parceiros também atuam  ininterruptamente no local, oferecendo assistência humanitária e de saúde, informação e apoio legal a refugiados e migrantes em ambos os lados da fronteira.

 

Impacto

 

As novas exigências de visto do Peru para os venezuelanos também estão tendo um impacto na fronteira norte do Equador com a Colômbia, através da qual 8,3 mil venezuelanos entraram na sexta-feira,, de acordo com as autoridades. 

O Acnur e seus parceiros também estão presentes no local fornecendo a necessária assistência e proteção humanitária e apoiando o governo equatoriano e a sociedade civil.

A agência da ONU fez um apelo para que a comunidade internacional aumente o apoio a países como Colômbia, Equador e Peru, que têm recebido a grande maioria dos 4 milhões de refugiados e migrantes da Venezuela. Grande parte destes necessita de assistência humanitária.

 

Bachelet

 

A alta comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet visitará a Venezuela a convite do governo, de 19 a 21 de junho.

Durante sua visita a Caracas, Bachelet se encontrará com o presidente Nicolás Maduro Moros, vários ministros e funcionários do governo, o presidente do Supremo Tribunal Federal, o Procurador Geral e o Provedor de Justiça.

A chefe dos direitos humanos da ONU também terá reuniões com o presidente da Assembléia Nacional e seus membros, assim como com o presidente da Assembléia Constituinte e seus membros e representantes da sociedade civil, da comunidade empresarial e sindicatos, líderes religiosos e acadêmicos.

Bachelet terá ainda encontros com vítimas de violações de direitos humanos e abusos e com suas famílias.

 

news.un.org

UNIDA NA DIVERSIDADE

Mppu opera todos os dias para que esta importante experiência política possa progredir e contribuir para a unidade na rica diversidade de toda a comunidade mundial.

A divisa da União Europeia, «Unida na diversidade», começou a ser utilizada em 2000.

Esta divisa evoca a forma como os europeus se uniram e formaram a UE para trabalhar em conjunto pela paz e prosperidade, sem nunca esquecer a enriquecedora diversidade de culturas, tradições e línguas que caracteriza o continente europeu.

Alemão : In Vielfalt geeint
Búlgaro : Обединен в многообразието
Checo : Jednotná v rozmanitosti
Croata: Ujedinjeni u različitosti
Dinamarquês : Forenet i mangfoldighed
Eslovaco : Zjednotení v rozmanitosti
Esloveno : Združena v raznolikosti
Espanhol : Unida en la diversidad
Estónio : Ühinenud mitmekesisuses
Finlandês : Moninaisuudessaan yhtenäinen
Francês : Unie dans la diversité
Grego : Ενωμένοι στην πολυμορφία
Húngaro : Egység a sokféleségben
Inglês : United in diversity
Irlandês : Aontaithe san éagsúlacht
Italiano : Unita nella diversità
Letão : Vienota dažādībā
Lituano : Suvienijusi įvairovę
Maltês : Magħquda fid-diversità
Neerlandês : In verscheidenheid verenigd
Polaco : Zjednoczona w różnorodności
Português : Unida na diversidade
Romeno : Uniţi în diversitate
Sueco : Förenade i mångfalden

COOPERAR ENTRE PAÍSES PARA SUPERAR AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Os agricultores colombianos estão em luta contra as alterações climáticas. Para fazer face a épocas de chuva demasiado húmidas e verões excessivamente quentes, têm do seu lado investigadores japoneses que os estão a ajudar a produzir arroz com menos água.

O FONTAGRO é um mecanismo único de cooperação entre países da América Latina e Caribe e Espanha, do que como uma estratégia para melhorar a segurança alimentos, com critérios de equidade e sustentabilidade, contribuindo para a redução da pobreza, tem priorizado a pesquisa e inovação através do apoio ao projeto e iniciativas, dentro das quais o projeto é chamado “Más arroz con menos emisiones y menor consumo de agua” (Mais arroz com menos emissões e menor consumo de água), liderado pela Federação Nacional de Arroceros Fedearroz), da Colômbia e com a participação de da Universidade Agrícola La Molina, do Peru e do Instituto de Pesquisa Agrícola (INIA) do Chile.

watch on euronews.com

 

 

CO-GOVERNANÇA POR UM MUNDO DIGITAL SEGURO

Fadi Chehadé propõe um sistema de co-governança digital para afrontar as atuais e futuras problemáticas digitais que estão assolando o mundo. Leva nessa proposta a sua experiência na direção da ICANN, uma das instituições chaves no espaço da governança digital, e o seu sucessivo trabalho como membro do Grupo de Alto Nível sobre a Cooperação Digital, instituto do Secretário Geral da ONU.

O secretário geral das Nações Unidas, Antônio Guterres, convidou os governos, o setor privado e a sociedade civil a estabelecer novos mecanismos de governo do mundo digital que “reúnam todos os sujeitos interessados – o governo, a comunidade empresarial, a comunidade científica, a comunidade civil... para criar normas, protocolos, não com rígidas formas burocráticas ou reguladoras... está claro para mim que isto não pode ser só um processo intergovernativo”.

O centro da proposta de Fadi Chehadé, tem uma separação dos mecanismos para projetar padrões digitais daqueles para impor suas adoções. Isso permitiria um rápido processo de elaboração de padrões na velocidade da evolução tecnológica, respeitando o papel dos governos na aplicação das normas que considerem adequadas com instrumentos legais e regulatórios.  

 

Fonte: Escrito por Ngaire Woods × 1º de Fevereiro de 2019 - BSG FACULTY, SCIENCE AND TECHNOLOGY, (our translation).

Fadi Chehadé é ex-presidente e CEO da ICANN (2012-2016), membro do Painel de Alto Nível sobre Cooperação Digital do Secretário-Geral da ONU e membro do conselho consultivo do Centro para a Quarta Revolução Industrial do Fórum Econômico Mundial.

 

Ele foi o orador do Rome Co-Governance 2019, durante o panel: “Cities and citizens as stewards of the digital world” na Dexta-feira, 18 de Janeiro de 2019.

 

fonte: Written by Ngaire Woods × 01 February 2019 - BSG FACULTY, SCIENCE AND TECHNOLOGY

 

Fadi Chehadé is past President and CEO of ICANN (2012-2016), a member of the UN Secretary- General’s High-Level Panel on Digital Cooperation, and an advisory board member with the World Economic Forum’s Center for the Fourth Industrial Revolution.

He was a speaker at Rome Co-Governance 2019, during the panel: “Cities and citizens as stewards of the digital world” on Friday 18 January 2019.

 

Read “Digital norms: co-governance for a trusted digital world”

imagevideopoliticsforunity

 Visão, histórias e perspectivas para uma política de unidade
 

To follow us, just find

  Europe time to dialogue

on Facebook

Pubblicazioni

Disarmo

 co governance

17-20 GENNAIO 2019

Castel Gandolfo

Roma - Italia

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.